Translate

sábado, 5 de outubro de 2019

Temoylata = Atemoya x Annona reticulata ( populamente conhecida como Red Atemoia - Atemoia vermelha)














Hoje colhemos e experimentamos pela primeira vez o fruto da Temoylata, e ficamos surpresos pelo delicioso sabor da fruta. Com certeza se tornou uma de nossas frutas favoritas.


Temoylata = Atemoya x Annona reticulata ( populamente conhecida como Red Atemoia - Atemoia vermelha)
Híbrido de uma Atemoya e uma Annona reticulata vermelha é uma variedade espetacular. Foi desenvolvida na Flórida (USA) pelo Har Mahdeem e depois levada para Israel onde se tornou popular.
Se caracteriza pela cor vermelha de sua pele e de sabor requintado.

Usos: Consumo principalmente in natura.
Propagação: principalmente por sementes.
Fotos: tiradas em nosso pomar pessoal na cidade de Casa Branca - SP.

Morus macroura - Amora-do-Paquistão, Pakistan mulberry, amora-gigante













E você já conhece ou experimentou a mais nova sensação entre as amoras?
Apresento a Amora-do-Paquistão, com seus frutos enormes e doces.

Morus macroura - Amora-do-Paquistão, Pakistan mulberry, amora-gigante.
Árvore com 6-8 metros de altura, originária de Islamabad, capital do Paquistão, de introdução recente no Brasil, onde é cultivada apenas por colecionadores.
Os frutos são drupas compostas (soroses), de mais de 6,5 - 9 cm, rubro-purpúreos.

Usos: os frutos são consumidos in natura, sendo muito apreciados. Comparados aos da amoreira-comum (Morus nigra ), são mais doces e muito maiores. Também constituem matéria- prima para ótimos sucos, sorvetes e geleias.
Propagação: por estaquia. Apesar de originária de climas subtropicais, adpta-se bem a tropicais. Plantar a sol pleno, em solos profundos e férteis. O início da produção é bem rápido.
Safra: pequena safra Julho 2019.
Fotos: tiradas em nosso pomar pessoal na cidade de Casa Branca - SP.
Texto: Livro "Frutas no Brasil" ( Harri Lorenzi e outros).

Inga edulis - ingá-de-metro, ingá, rabo-de-mico, ingá-macarrão, ingá -cipó.
















Que comece a temporada de frutas aqui no Frutas Raras. 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻
A escolhida de hoje é muito docinha e suculenta. A aparência dos frutos lembra muito um algodão doce ou um marshmallow 🍡🍡🍡

Inga edulis - ingá-de-metro, ingá, rabo-de-mico, ingá-macarrão, ingá -cipó.
Árvore perenifólia, pioneira, de copa ampla e baixa, de 10-15 metros de altura, nativa da Floresta Pluvial Atlântica desde o Nordeste até o Sudeste e, principalmente, da região amazônica, onde é bastante frequente.
Os frutos são legumes denso-tomentosos de 20-80 cm, sulcados, com muitas sementes envoltas por denso arilo flocoso branco, de sabor muito doce e agradável, facilmente destacável.

Usos: trata-se certamente do ingazeiro mais cultivado em pomares domésticos de todo o país, abundante em seu habitat natural; o arilo dos frutos é consumido in natura e muito apreciado, sendo os frutos oferecidos nos mercados e feiras regionais de toda Amazônia.
Propagação: por sementes e estaquia de raízes. Rápido crescimento e início de produção.
Fotos: tiradas em nosso pomar pessoal na cidade de Casa Branca - SP.
Safra: julho 2019.
Texto: Livro "Frutas no Brasil" ( Harri Lorenzi e outros).

FRUTAS NATIVAS E SUA IMPORTÂNCIA NA CONFEITARIA �� DOCE BRASIL







Gostaria de convidá-los a assistir esse vídeo do lindo projeto DOCE BRASIL idealizado pela nossa amiga Joyce Galvão (@joyce.galvão no Instagram).
Nele você poderá conhecer colecionadores de frutas e seus projetos ( Adhemar Gomes da SilvaHelton Frutas e Douglas Bello) . Além do lindo trabalho que a Joyce vem desenvolvendo na Confeitaria Brasileira.
Lindo de se ver!


Frutas nativas e sua importância na Confeitaria / Doce Brasil

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Hylocereus undatus - Pitaya Rosa da polpa branca











A beleza da Pitaya Rosa de polpa branca.
Hylocereus undatus - Pitaya Rosa da polpa branca
Frutos globosos, vermelhos, sem espinhos, do tipo baga, com polpa garboso-suculenta, de coloração branca e sabor doce, contendo pequenas sementes de cor negra.
Usos: os frutos são consumidos in natura, sucos, sorvetes. Muito produtiva.
Propagação: principalmente por pedaços de cladódios que enraízam com facilidade.
Fotos: tiradas em nosso pomar pessoal na cidade de Casa Branca - SP.

Myrciaria dubia - Câmu-câmu, camu-camu, araçá-de-água; caçari

















Esse ano nosso camu-camu surpreendeu com essa poderosa produção.
Quem adora uma vitamina C, deve conhecer essa frutinha.

Myrciaria dubia - Câmu-câmu, camu-camu, araçá-de-água; caçari
Arbusto ou arvoreta de 2-4 metros de altura, com copa irregular rala, nativa do noroeste da Amazônia, sobretudo em áreas alagáveis de água negra, onde chegam a ficar com parte do caule imersa.
Frutos globosos, com casca fina lustrosa de cor vermelha passando a negro-púrpura, de polpa muito suculenta, ácida e riquíssima em vitamina C. A pronúncia na Amazônia Ocidental é câmu-câmu.

Usos: frutífera cujo plantio vem sendo incentivada em pomares domésticos e comerciais, tanto na Amazônia quanto no Sudeste; os frutos com casca são aproveitados em sucos, tomando-se o cuidado de não partir as sementes, que são muito resinosas. São também industrializados de várias formas ( pílulas vitamínicas, geleias, cosméticos etc.).
Propagação: principalmente por sementes.
Fotos: tiradas em nosso pomar pessoal na cidade de Casa Branca-SP.
Texto: livro "Frutas no Brasil" (Harri Lorenzi e outros).
Safra: abril 2019