Translate

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Myrciaria tenella

Myrciaria tenella


Arbusto ou arvoreta semidecídua, densamente ramoso, de 1-5 metros de altura, com tronco liso característico, nativo das matas estacionais e capões desde o Pará e Maranhão, Brasil-Central até o noroeste do Rio Grande do Sul. Folhas simples, de lâmina cartácea, glaba, discolor, de 1,5 a 2 cm de comprimento, com a nervura central plana ou sulcada em cima e saliente embaixo. Floração formada em julho-agosto. Frutos globosos, lisos, brilhantes, vermelhos ou alaranjados, com polpa espessa, doce-acidulada, muito agradável, contendo geralmente uma única semente; maturação em setembro-outubro.
Propagação: Principalmente por sementes.
Fonte: Livro Frutas no Brasil

Pitaya Polpa Roxa (Hylocereus polyrhizus)





Phitranta Vermelha da ESALQ


Phitranta Vermelha da ESALQ

Árvore semidecídua, de copa piramidal densa, de 4-7 metros de altura. Folhas cartáceas e pecioladas. Flores aglomeradas sobre o caule e rmos velhos desfolhados, com brácteas escamiformes arredondadas e ciliadas na base dos pedúnculos, forrmadas em agosto-setembro e janeiro-fevereiro. Frutos subglobosos, costados, brilhantes, de coloração avermelhada a vinácea, com polpa doce, de textura aveludada.  A maturação ocorre de setembro a novembro e no verão.
ESALQ - originária da universidade homônima, de tamanho e sementes grandes; sabor doce. 

Propagação: Por sementes e por enxertia.

Pitangatuba (Eugenia selloi)

Pitangatuba

A pitangatubeira é uma frutífera ocasionalmente cultivada em pomares domésticos e encontrada na natureza, na restinga do estado do Rio de Janeiro. É um arbusto semidecíduo de 1-2m, com ramos dispostos mais ou menos horizontalmente.Folhas cartáceas e flores andróginas, brancas, formadas em julho-outubro. Frutos oblongos, alado-costados, de casca fina, com polpa espessa, carnoso-suculenta, de sabor acidulado muito agradável, contendo 1-2 sementes que se separam facilmente da polpa. Estudos revelaram que aqueles contem elevado teor de vitamina C. Maturação em outubro-janeiro.
 Fonte: Livro Frutas no Brasil

Cambucá da Mata Atlântica. Plinia edulis.



Cambucá da Mata Atlântica.

Plinia edulis.

Árvore perenifólia de 5-10 metros de altura, dotada de copa densa de formato piramodal, com tronco curto e revestido por casca lisa, avermelhada e descamante, nativa da Mata Atlântica desde o Rio de Janeiro até o Rio Grande do Sul, em várzeas aluviais da Costa Atlântica. Folhas simples, pecioladas e subcoriáceas. Flores solitárias ou reunidas em glomérulos sobre o caule e ramos espessos, formadas de outubro a dezembro. Os frutos são bagas globoso-achatadas e algo costadas, glabras, amarelo-alaranjadas, de casca espessa, com polpa carnoso-suculenta de delicioso sabor doce-acidulado, com 1-2 sementes grandes, que amadurecem em dezembro-janeiro.

Propagação: Principalmente por sementes.


Fonte: Livro Frutas no Brasil