Translate

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Eugenia klotzschiana: Pera-do-cerrado, Cabacinha-do-campo.




Nossa Pêra-do-cerrado está cada dia mais bonita e vigorosa. Frutífera rara de pequeno porte e muito produtiva.
Eugenia klotzschiana: Pera-do-cerrado, Cabacinha-do-campo.



Eugenia klotzschiana: Pera-do-cerrado, Cabacinha-do-campo.














Eugenia klotzschiana: Pera-do-cerrado, Cabacinha-do-campo.
Arbusto caducifólio, de 0,5 -1,5 metros de altura, nativa dos cerrados e campos do Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Frutos tipicamente piriformes, com casca fina e pubescente, de polpa espessa, carnosa-suculenta, aromática, de sabor acidulado muito característico e um pouco adstringente. Maturação ocorre em Dezembro e Janeiro.

Nota: Trata-se de fruteira raramente cultivada em pomares domésticos do país, sendo também pouco frequente em seu habitat natural; seus frutos são consumidos in natura e na forma de geleias, sendo ainda pouco conhecidos.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Plinia trunciflora - Jabuticaba de cabinho rajada da Unesp, Jabuticaba-café-rajada.














Hoje o dia surpreendeu com a excepcional Jabuticaba de Cabinho Rajada da Unesp.
Plinia trunciflora - Jabuticaba de cabinho rajada da Unesp, Jabuticaba-café-rajada.
Árvore de 4-8 metros de altura, nativa desde Minas Gerais até o Rio Grande do Sul, na Mata Atlântica e na Mata dos Pinhais. 

Frutos globosos, grandes, negros e rajados, lisos, brilhantes e longo-pedunculados, com polpa muito doce, cujo sabor de assemelha ao dos frutos do cafeeiro. E maturação ocorre em novembro-Dezembro. 



Eugenia speciosa: Pitangao, Laranjinha-do-mato









 Eugenia speciosa: Pitangao, Laranjinha-do-mato
Nativa das restingas litorâneas e das matas de altitude desde Minas Gerais até o Rio Grande do Sul.

Frutos globosos ou piriformes, lidos ou ligeiramente verrucosos, por vezes levemente costados, coroados pelas sepalas persistentes, de polpa carnosa fina, um pouco esponjosa e de sabor adocicado.
Propagação principalmente por sementes, com desenvolvimento lento das mudas.



terça-feira, 8 de novembro de 2016

Garcinia humilis - Achachairu, Chachairu, Tatairu; Achacha












E foi dada a largada! 

Apreciando os primeiros frutos da temporada do Achachairu para o Estado de São Paulo.


Garcinia humilis - Achachairu, Chachairu, Tatairu; Achacha
Árvore perenifólia de 10-15 metros de altura, introduzida há alguns anos em São Paulo, onde se adaptou bem; originária da floresta tropical de média altitude da Bolívia, onde ocorre em estado nativo e semidomesticado.
Frutos drupáceos de casca grossa, amadurecidos em dezembro-janeiro, com 1-2 sementes de sabor doce levemente ácido.
Frutos consumidos in natura e muito apreciados, comparáveis ao mangostão (G.mangostana). Possui grande potencial de cultivo, pela longa durabilidade, qualidade e tolerância a manuseio e transporte.